quarta-feira, 4 de junho de 2014

O desespero pela audiência

Amigos.

Cada ano que passa, a mentalidade de Internet diminui no Brasil.
Eu não sou o maior nome do marketing digital e nunca pretendo ser. Admiro grandes nomes como Romeo Busarello, Luca Cavalcanti, João Ciacco, Maurício Moreira, Conrado Vaz, Solange Oliveira, Thiago Sarraf, Paulo Schiavon, Gustavo Zanotto, Marcelo Trevisani, Victor Vieira, Euripedes Magalhães, Martha Gabriel, Fábio Pereira, Eduardo Fleury, Fátima Bana, entre outros, esses sim fazem a diferença!!! Sou um profissional consciente de que há muita coisa errada no marketing digital e não sou eu quem está dizendo, aliás, um cara que infelizmente parece estar em extinção no mercado, um cara que se preocupa com o consumidor em primeiro lugar.

Ano passado eu seguia um Portal de Esportes no Facebook. Um dia parei de seguir por um simples motivo: O desespero pela audiência. Era muito simples, uma postagem era feita sobre um determinado time com a chamada: "Importante jogador pode reforçar time X na próxima temporada". Aparecia a foto do jogador, até parte da camisa do atual time e no seu rosto um circulo branco com um ponto de interrogação. Para saber quem era, bastava clicar no link da imagem.

As primeiras vezes, confesso que cai nessa "pegadinha". Em uma semana, vi pelo menos 30 postagens dessa, afinal, o mercado de futebol mundial é dinâmico e tem muito conteúdo a ser falado. Não tive dúvidas, parei de seguir essa Fan Page. Até ai, ok, afinal de contas era uma única empresa e eu tinha acesso a informação em outros canais. Veja bem o que eu escrevi agora: acesso a informação em OUTROS canais...

Ultimamente tenho acompanhado outros sites fazendo o mesmo. Nesse caso até cito a Rede Globo, que está patética o quanto estão perdidos por causa da Internet. Está engraçado até ver a poderosa, dona da mídia, rainha soberana em manipulação da mente das pessoas, estar mais perdida do que cego em tiroteio. Até, segundo "fofoca do mercado" tentar proibir o uso do Google no país ela tentou! Rede Globo, com seu BBB, suas Novelas, seu Esquenta, seu Pé na Cova, a Sra está perdida.

Bem, passando o momento desabafo, vale ver o que o Globo Esporte tem feito. A mesma tática do site que falei acima. E por que disse, no começo que não sou eu quem está dizendo o quanto essa tática está errada e sim, o que deveria ser mais importante para qualquer empresa: As pessoas!

Recentemente vi o seguinte post:
DE SAÍDA DO GRÊMIO...
Kleber Gladiador está prestes a acertar com outro clube brasileiro. Saiba quem time está perto de fechar com o atacante (link da matéria)

Então você toma 2 medidas: Entra no link, fica 3 segundos lê que ele vai para o Vasco ou abre os comentários e vê 3 tipos de comentário: 
- Pessoas xingando a Globo por esse desespero (maioria)
- Pessoas falando a resposta do "enigma"
- Pessoas comentando a favor ou contra a contratação. 

As pessoas, TEM ACESSO A INFORMAÇÃO EM OUTROS SITES, buscam ou a informação chega até eles pelo Facebook. Virou clichê, mas alguns sites esquecem que o usuário não vai mais atrás da notícia, a notícia vem atrás de nós!! Pegam a informação, cometam o post e o usuário vai se acostumando a não clicar no link e sim ver o comentário dos outros.

Tática é (péssima) simples: Sites fazem esse "grande mistério", os usuários clicam no link. Podem ficar 2 segundos, pouco importa. O tempo de permanência no site cai, o Bounce Rate vai as alturas, mas e dai? Quem se importa com a qualidade do conteúdo? O que importa é mostrar ao mercado publicitário que o portal cresceu em 50% a audiência, que tem bilhares de novas impressões, que a sua marca pode anunciar lá, afinal, a audiência está interessada no seu produto...

Então vemos os banners dando 0,03% de CTR e comemoramos como se nosso time tivesse sido campeão do mundo. A cada 1.000 vezes que a peça abre, 3 pessoas clicam e talvez nem 1 continue no seu site. Então, portal diz que a verba foi pouca e precisa de mais para dar resultado... concordo que o banner é uma importante estratégia, até se pensar na análise multichannel, mas nem é essa a discussão.

Há conteúdos que precisam ter chamada para o site. Por exemplo, a mesma Fan Page da Globo, posta uma foto dos jogadores do Brasil, com a chamada: "Jogadores comentam a vitória do Brasil contra o Panamá". Ai sim!! Ai leva para o site. Não tem o mistério bobo e sim a chamada para algo relevante.

Vamos pensar melhor antes de fazer qualquer coisa na web e veja, que se a grande maioria da sua audiência está indo contra o que você está fazendo, pare!!! Repense a estratégia, há inúmeras estratégias possíveis, basta você pesquisar, analisar e ver como fazer.

Vamos melhorar a internet??

Já estão as vendas meus 2 cursos do iMasters:
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIGITAL
ESTRATÉGIAS DE MARKETING PARA E-COMMERCE

Abraços
Felipe Morais
@plannerfelipe

6 Comentários:

Às 6 de junho de 2014 09:20 , Anonymous Anônimo disse...

Felipe, discordo de você, e, respeitosamente, digo o motivo. Tudo isso sempre foi feito pela televisão e outras mídias, mas na internet é mais explícito. Por que condenar algo que traz resultado e não prejudica a audiência? Sinto, por seus artigos, que está parado no tempo.
Chamar isto de "desespero pela audiência" é de muita falta de visão. Teus clientes não querem audiência? Sempre vai haver quem goste de um modelo de trabalho e outros que não. Você não gosta deste modelo de gerar curiosidade e vai para OUTROS canais, como comentou, mas e as centenas de milhares de pessoas que gostam ou não se importam? Quem é a maioria?
Forte abraço e sucesso

 
Às 6 de junho de 2014 14:29 , Blogger Felipe Morais disse...

Todo comentário com educação é válido uma resposta. Respeito a opinião, só acho que acessos a qualquer custo não vale pela segmentação.
Desculpe, mas parado no tempo, não mesmo!!! Acho que foi uma colocação indevida.
abs

 
Às 6 de junho de 2014 18:13 , Anonymous Rafael disse...

Uma crítica negativa como a minha só traz benefícios. Nos tira da zona de conforto (não que você esteja). Eu entendi o que você quis passar no artigo. É algo que realmente acontece, discordo apenas que seja algo totalmente negativo, muito menos desesperado. Depende de muitos fatores, como por ex. o público alvo. Ruim para você, talvez para mim, mas bom e agradável para outros vários, assim como teu artigo. Muitos vão concordar.
Abração

 
Às 4 de agosto de 2014 11:34 , Anonymous Euripedes disse...

Eu penso que esse tipo de ação não gera nada para o usuário. E daí que o usuário clica?

O que ele usa como conteúdo relevante dessa notícia? Vamos parar um pouco e pensar no usuário, em uma conversa banal de bar com os amigos:

Pessoa 1:
– Fulano vai sair do Grêmio.

Pessoa 2:
– Vai pro Vasco, eu sei.

Fim da conversa.

Agora, pensando em um conteúdo mais relevante:

Pessoa 1:
– Fulano vai sair do Grêmio.

Pessoa 2:
– Vai pro Vasco, eu sei.

Pessoa 1:
– Você sabe que isso foi motivado por isso, aquilo e mais aquilo e maiso outro aquilo?

Conversa continua....

Na minha concepção é isso que temos que pensar, no que isso vai gerar de conversa, no que gera de relevância, avançar ou parar no tempo depende dessas relações.

Pensa no seu dia-a-dia, o que costumamos compartilhar? Ou o que costumamos dar um "curtir"? Coisas simples ou com um valor maior?

E por mais que o público-alvo (detesto essa palavra porque a última coisa que o público é hoje em dia é um alvo, porque interage, blá blá) seja um público com "pouca vontade", a nossa responsabilidade como comunicadores, de fortalecer a economia, a educação, o crescimento crítico da população fica onde? Eu penso que deveria estar na frente de tudo.

Human first. Em português ou inglês, sempre.

 
Às 4 de agosto de 2014 12:58 , Anonymous Anônimo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

 
Às 4 de agosto de 2014 13:03 , Blogger Felipe Morais disse...

Sou contra deletar comentário, mas de Anonimo que não sabe PORRA nenhuma da minha história, prefiro deletar e pedir para saber melhor quem eu sou antes de falar merda

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial