sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Google Instant vai mudar o que?

Amigos.

Para quem me acompanha há algum tempo nesse blog sabe que sou um profundo defensor do Google, afinal essa é uma empresa que admiro demais, pois em 11 anos ela saltou de uma pequena sala de uma universidade para ser a empresa mais valiosa do mundo. Todos começam pequeno, claro, mas eles conseguiram crescer demais em pouco tempo, não tem como não tirar o chapéu para eles.

Tenho uma amiga, Martha Gabriel, que em suas aulas e palestras sempre diz uma coisa: "você consegue ficar 1 semana sem usar nada do Google?" Dificilmente hoje alguém passa uma semana sem ler um Blogger, ver seu Gmail, falar no GTalk, não assistir nada no YouTube, não mandar um scrap no Orkut ou mesmo analisar sua performance no Analytics. Isso para falar das ferramentas mais conhecidas e sem mencionar não buscar nada no próprio Google.

Mas essa semana muito se falou de uma nova ferramenta do Google chamada "Instant Search" que segundo o blog Gizmodo Brasil vai permitir uma busca mais rápida do que a que estamos acostumados da seguinte forma: "os resultados das buscas aparecerão assim que você começar a digitar. Uma lista de possíveis buscas em cinza para refinar suas opções também surgirá, tudo isso antes de você efetivamente clicar no botão “Pesquisar”. Isso deve economizar de 2 a 5 segundos em nossas buscas.

Sinceramente até esse momento, vejo vantagens para as gerações Y e Z que querem tudo para "ontem" e não podem perder 2 segundos digitando uma palavra, mas na minha visão não vai me ajudar muito se o resultado demorar 1,2,3 segundos. Já acho um grande diferencial do Google os resultados aparecerem em pouquíssimo tempo!

A defesa para o novo sistema é que lemos mais rápido do que escrevemos e por isso, não vamos precisar mais digitar a palavra toda para achar o que queremos, algo que já acontece hoje no próprio Google e que é um dos pilares da web semântica. Mais uma vez não vejo nenhuma novidade nisso.

Ainda segundo o Gizmodo, o sistema trará uma inteligência - e ai sim vejo uma vantagem - para termos considerados "ruins" pelo sistema como pornografia, violência ou discursos de ódio". Ao tentar buscar um desses termos o sistema prenderá o usuário em uma tela mostrando outros termos diferentes dos citados, mas claro que haverá uma forma de burlar isso.

O sistema estará operando em breve no mundo todo e a sua versão para mobile vai demorar um pouco ainda, mas vai chegar.

Alguns teóricos do caos acreditam que o Google está cada vez mais dominando e ditando as regras da sociedade, não iria tão longe, mas quando vejo o fato dele limitar para que o usuário não busque um termo como "pornografia" por exemplo, tenho um certo medo pois vejo uma limitação do sistema naquilo que os usuários querem ver.

Mais uma vez é esperar para ver o que essa novidade do Google mudará em nossas vidas, assim como outras ferramentas fizeram. Eu sinceramente acho que essa novidade não vai interferir tanto nos excelentes resultados que o Google apresenta em suas buscas, mas é esperar para ver.

Já está a venda o meu livro PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIGITAL (Ed. Brasport). Adquira já o seu!

A Pós-Graduação em Marketing Digital da Faculdade Impacta de Tecnologia está com inscrições abertas para a 2a turma que deve iniciar em Outubro. Clique aqui e saiba como se diferenciar no mercado.

Abraços e bom final de semana
Felipe Morais
@plannerfelipe

Marcadores: , , , , , ,

1 Comentários:

Às 15 de outubro de 2010 18:35 , Blogger Daniella Simões disse...

Eu pra falar a verdade ainda não entendi essa nova ferramente. Hoje quando vou pesquisar no google ele ja aparece algumas sugestões do que eu poderia estar procurando...

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial