domingo, 30 de janeiro de 2011

Consumidores sabem mais que os vendedores?

Amigos


Dizer que a Internet abriu o mundo para as pessoas é um discurso batido, antigo, mas que mesmo assim não parece que o mercado ainda não se ateve a esse fato. A quantidade de conteúdo produzido nos últimos 50 anos foi maior que o que foi criado em toda a história da humanidade. A Internet potencializou esse fato, se antes só a mídia gerava informação, hoje, qualquer pessoa com um mínimo de acesso e conhecimento de web, cria um blog, escreve o que deseja e vira um formador (a) de opinião.

Graças a esse fator, hoje o consumidor está muito mais exigente porque ele está muito mais informado ou pelo menos tem muito mais acesso a informação. Sempre digo nas palestras e aulas que hoje o consumidor quando vai efetuar uma compra, ele antes pesquisou na web sobre o produto, marca, serviços, comparou preços e principalmente opinião das pessoas sobre determinado produto; ao passo que na loja física tem apenas um vendedor para tirar dúvidas sobre o produto (e que por ser comissionado nem sempre vai dizer o produto que é melhor para o consumidor, mas sim o mais caro ou quando não participa de um programa de incentivo de determinada marca).

O consumidor está sim chegando ao ponto de venda muito mais informado do que há anos atrás e essa não é uma tendência, mas sim um processo que só tende a ser cada vez mais usual, porém, nem todas as marcas ainda abriram seus olhos para esse comportamento, uma vez, que quando um usuário decide saber mais sobre uma determinada marca, o seu primeiro impulso é o site da marca, mas nem todos estão atualizados e trabalham bem seus conteúdos.

O próximo passo é acessar a marca nas Redes Sociais, querendo seguí-la, mas será que a marca se relaciona com o usuário ou apenas usa esse canal como uma “mídia gratuita”?

No site Mundo do Marketing, foi publicada uma pesquisa da Motorola que mostra que 55% dos varejistas pesquisados afirmam que os consumidores tiveram mais acesso a informações que as suas equipes de venda; então eu questiono: “Qual a credibilidade que um vendedor vai passar em uma venda quando o consumidor sabe mais que ele”?

Oferecer experiência de compra e informações no momento do mesmo é ideal, por isso, ter um bom mobile site está se tornando essencial. Um consumidor pode estar em uma loja e desejar acessar o site da marca para pesquisa, como afirma a pesquisa que mostra que 39% das pessoas com Smartphone saíram da loja sem consumir nada e o celular foi determinante para isso. Outra idéia pode ser colocar um canal de acessos para esse consumidor pode também ser uma excelente idéia. As marcas precisam oferecer conteúdo relevante para o usuário no momento da decisão de compra. Ter um site bem atualizado não é certeza de venda, mas é quase certo que pode sim influenciar uma compra.

Para nós, profissionais de planejamento estratégico digital, é muito importante entender esse comportamento do usuário, entender a fundo e traçar estratégias para as marcas com as quais trabalhamos, baseado nesse comportamento, entendendo como elevar as vendas para a marca, mesmo que essas só ocorram em lojas físicas. A web tem sido um importante influenciador de compras no “mundo físico”. Aliás, a tempos isso ocorre.

A Internet não vai eliminar a importância do vendedor físico, muito pelo o contrário, ela tem tudo para ajudar esses vendedores a se aprimorar no conhecimento dos produtos e principalmente entender o que as pessoas falam da marca nas Redes Sociais e como podem influenciar em uma compra.

Já está a venda o meu livro PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIGITAL (Ed. Brasport). Adquira já o seu!

Abraços
Felipe Morais
@plannerfelipe

Marcadores: , , , , , ,

1 Comentários:

Às 31 de janeiro de 2011 09:11 , Blogger MARCELLO CAMINHA disse...

muito boa matéria, realmente a gente hj tem toda conição de chegar em uma loja sabendo mais do que o proprio vendedor e não precisar ficar escutando explicações muitas vezes tendenciosas...

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial